REFORMAR: VALE A PENA ?

Cansando de chegar em casa e ver sempre aquele mesmo móvel, com aquela mesma cor, aquela sala que já não combina mais com você…Ou aquela mesma goteira no banheiro, mesma infiltração na parede sala e já tem até um certo apreço por aquela rachadura…

Seja qual formo motivo, por estar enjoado, por querer atualizar um ambiente ou consertar um defeitinho ou um “defeitão” em sua casa, reformar vale a pena!

Vale até aproveitar o momento de consertar ou redecorar também para adaptar a sua casa para uma casa mais “ecológica”. O ambiente pode ser transformado com recursos simples que vão deixar seu ambiente com cara nova!

A cada dia os materiais de construção estão modernos e práticos, seguindo uma tendência do “faça você mesmo”. Também estão mais acessíveis e ecológicos, se tornando também mais flexíveis e adaptáveis para qualquer ambiente.

Mesmo que seja você mesmo quem vai fazer a sua reforma, é necessário fazer um planejamento, para não ser perder, não faltar, nem sobrar materiais, e não ser pego de surpresa com imprevistos e nem fazer algo que possa se arrepender. Para isso, temos 10 dicas para te dar:

  1. Liste o que você mais gostaria de mudar. Não esqueça de considerar os hábitos e necessidade seus e de sua família.
  2. Tente reaproveitar os ao máximos os móveis que já possui, dando a eles novo uso ou aparência.
  3. Crie espaços funcionais e práticos, para que o ambiente fique o mais organizado possível no dia a dia.
  4. Lembre-se de aproveitar iluminação natural e instalar iluminação adequada.
  5. Use tapetes para separar os ambientes, de forma sutil.
  6. Não se esqueça do estilo – pense naquilo que mais tem a ver com a sua personalidade.
  7. Faça um planejamento e um projeto.
  8. Faça orçamentos em pelo menos três lojas e coloque organizados por quantidade, características e preço do projeto e veja se o valor se adequa às suas possibilidades.
  9. Utilize materiais e revestimentos de fácil aplicação, como papel de parede, laminados e cortinas. Além de práticos, esses materiais permitem uma mudança rápida e de impacto.
  10. Mãos à obra!

Escolhendo os Materiais

Reforma nas paredes

Uma das mudanças de grande impacto no ambiente é cor das paredes! Uma “corzinha” na parede, e a sala já é outra! Cores quentes, como amarelo, laranja, vermelho, dão aconchego. Já as cores frias são tranquilizantes, como verde, azul e cinza. O importante é definir um tom que deseja utilizar na sala inteira, e a partir dele escolher que cor serão os outros elementos. A combinação de cores é essencial em qualquer decoração! Também é fundamental dar contraste, por exemplo, se seu sofá é claro, opte por almofadas e tapetes escuros. Dica: A cor Rose Quartz é tendência para 2016.

Para quem ainda tem dúvidas sobre as cores que deseja utilizar para pintar as paredes, separamos três simuladores poderá ajudar muito na visualização de como pode ficar seu ambiente. É muito prático e gostoso de utilizar, é uma brincadeira para gente grande.

  • Tintas Coral: http://www.coral.com.br/ferramentas.aspx
  • Tintas Lukscolor: http://www.lukscolor.com.br/simulador/
  • Tintas Suvinil: https://www.suvinil.com.br/SimuladorV2/

Após escolher sua cor, confirme com o vendedor na loja a cor que você quer. As vezes, pela variação na tela do computador, a cor pode mudar até dois tons, e a parede ficar diferente do que você tinha imaginado.

Papel de parede:

O papel de parede tem sido muito utilizado para reformas. Com muitas variedades de padrões e cores, é um revestimento extremamente fácil e rápido de ser aplicado, e pode ser usado até em banheiros. É bom atentar para as especificações da aplicação dos papeis de parede, a forma de colar, quanto precisa de cola. A maioria dos sites de venda de papel de parede vem com um simulador de quantidade de papel que precisa, e também da cola. Neste link você pode encontrar um:

color24.eu/faq/Tapetenrechner_pt.php

Piso

Pode parecer complicado, mas trocar o piso também pode ser simples. Há uma grande diversidade de materiais para pisos de fácil aplicação.

A escolha do piso é um fator muito importante para a residência porque envolvem desde a funcionalidade, estética e conforto. Por isso, antes de escolher, é preciso prestar atenção nas características do ambiente em que ele será aplicado. Se é uma área úmida ou seca, se é interna ou externa, a existência ou não de animais de estimação e de crianças também deve ser considerada. Com base nisso, fica mais fácil escolher as opções mais adequada.

Há diversos recursos para a transformação “faça você mesmo” no mercado de construção civil. Novas cortinas, armários de fácil instalação, torneiras com economia de água, redutor de vazão de água para torneiras, válvulas de descargas duplas, placa solares, são outras formas simples de reformar e adaptar sua casa mais sustentável.

Entulhos

Seja a construção da casa dos sonhos ou apenas fazendo uma reforma básica, a obra sempre acumula entulho e os restos e materiais e outros tipos de resíduos precisam sair da sua casa. E o destino desse lixo não é o lixo comum!

Descubra em sua cidade as formas corretas descartar esses resíduos, algumas prefeituras fazer isso gratuitamente, dependendo da quantidade, mas uma ótima opção é aluguel de caçambas.

Segurança de Prédio Sem Taxa de Condomínio? É Possível !

Você sabia que existem edifícios sem taxa de condomínio? Isso mesmo! Não é preciso pagar caro para morar bem e com segurança.

Em prédios sem taxa de condomínio o edifício é isento e a administração é feita pelos moradores e as despesas da das áreas comuns são rateadas entre eles, reduzindo consideravelmente o custo coletivo e individual. Isso acontece nos casos de prédios menores, como prédios de dois andares com oito apartamentos. Nesse caso, o prédio é liberado da convenção de condomínio, o que reduz também burocracias, ficando a cargo dos moradores elaborarem um regulamento interno para a boa convivência.

Quais as vantagens?

Além de economia e menos burocracia? O prédio, que na verdade é seu lar, e não um clube, deixa de ser tão cheio de “frescuras”, mas mantém a mesma segurança e privacidade de um edifício “mais caro”.

O apartamento nesses prédios também costuma não ser muito grande, o que é valorizado e mais fácil de comercializar, costuma ser mais acessível ainda para quem está em busca de um primeiro imóvel. Residências com áreas menores, seja por necessidade ou opção, é tendência em todo o mundo e também uma realidade. Com o espaço reduzido, diminui também o valor das contas de luz, imposto e do tempo dedicado à limpeza da casa.

O apartamento em um prédio com poucos e áreas reduzidas é também mais fácil de alugar, por ser mais barato e prático. Esses prédios estão sendo construídos em áreas próximas a bancos e supermercados, a uma distância que dê para ir a pé, tornando-se atraentes para quem tem uma vida agitada.

Outras das principais vantagens de morar em apartamento é a maior segurança em relação a uma casa. O espaço restrito de um edifício não permite que carros estranhos circulem pelo edifico, entrando assim no prédio apenas os donos que já possuem carros que são “conhecidos” e boa parte dos condomínios conta com câmeras e portões de segurança e sistemas de alarme. Enquanto que a maioria dos latrocínios – roubos seguidos de morte – acontece em casas térreas, no momento em que as pessoas entram e saem de suas casas.

Apartamento x Condomínio fechado

Os condomínios fechados e os edifícios com grandes áreas comuns podem parecer atraentes pelas áreas de lazer como piscina, churrasqueira, parquinho, campo de futebol, salão de festas e algumas outras das opções de lazer que muitos oferecem aos moradores. No entanto é preciso ponderar os prós e contras dessas modalidades para ver qual combina com mais com sua personalidade e interesses. E saber avaliar o quanto esses “benefícios” vão trazer de contribuição ou de aborrecimento. Listamos alguns contra do condomínio fechados:

  1. Menor privacidade: Para começar você precisa pensar em sua personalidade, você é uma pessoa reservada? Gosta de privacidade? Pois esses condomínios do tipo clube, seja prédio ou residencial, são compostas por muitas casas e moradores, e a chance de você chegar em sua casa sem encontrar um vizinho são quase nulas.

Essas pessoas também estarão usando as áreas comuns, muitas vezes com a família toda. Muitos confundem realmente o condomínio com clube e acabam levando “convidados” para frequentarem as piscinas e demais áreas e um lugar que era para ser particular, acaba parecendo público. Ou seja, no condomínio fechado, você tem muito contato com pessoas o tempo todo.

  1. Regras: Para contrabalancear esses acontecimentos, geralmente o condomínio estabelece muitas regras, o que também pode não ser tão agradável… Hora para tudo, pega a chave, assina, devolve, abre, fecha, não tem data…
  2. Má administração: E ainda se corre o risco da má administração. Se não for bem gerido, o que seria benefício acaba de tornando despesa. Áreas de lazer não conservadas, ou muitas reformas, geram custos e onde há condomínio não tem como escapar, se a maioria decidir, mesmo você não concordando, você também tem que arcar.