Você Sabe como Financiar um Imóvel?

Não? Então vamos a uma pequena aula: Vamos imaginar aqui que você quer comprar seu apartamento, sua tão sonhada casa própria, mas não tem o dinheiro do valor do imóvel.  Na hora de comprar um imóvel, seja casa, apartamento, ou até mesmo imóvel comercial, novo ou usado, você pode utilizar o financiamento para conseguir o crédito para o pagamento.

Como assim? 

O financiamento funciona da seguinte maneira: Você vai ao banco de sua preferência, e pede ao gerente a liberação do crédito que precisa para a compra do imóvel, se liberado, o banco paga ao vendedor do imóvel o valor que pediu para financiar, quitando a sua dívida com o vendedor. Então você vai pagar ao banco esse valor financiado, que é o valor do crédito adquirido, podendo ser o “preço” total do imóvel ou a quantidade restante se você já tiver algum valor para dar de entrada. É como se pegasse um dinheiro emprestado a vista e pagasse parcelado.

Mas durante o período de financiamento, que é o tempo que você vai levar para pagar o banco, o imóvel apesar de pertencer a você, não poderá ser negociado enquanto a dívida com o banco não estiver paga.

Diversos bancos oferecem esse serviço, então é legal pesquisar quais são as condições de financiamento, quais as taxas de juros cobradas, a duração do contrato, quanto do valor do imóvel pode ser financiado e até qual valor, para ver qual banco melhor se adequa as suas possibilidades. Há também a opção de financiamento direto com a construtora.

Quem pode financiar?

Qualquer pessoa com renda pode tentar realizar um financiamento, mesmo autônomos e trabalhadores informais, mas é preciso comprovar essa renda.  Com a comprovação de renda do comprador será possível ao banco verificar o valor do crédito e sua capacidade de pagamento, pois o valor das prestações não pode ser maior que 30% da renda familiar bruta.

Autônomos podem comprovar renda por meio de declaração do Imposto de Renda, contrato de prestação de serviços, declaração do sindicato da categoria, recibo de recebimento por trabalhos prestados ou uma Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos (Decore), feita por contador.

Os trabalhadores rurais e informais, ou os que não possuem conta em banco serão informados pelos gerentes de cada banco quais são os documentos necessários de acordo com cada caso.

Negativo não pode.

O que você não pode é estar com dívidas e pendências com o Serasa ou no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) ou com débitos relativos a Tributos Federais e Dívida Ativa da União. Se não houver problemas, o credito poderá ser liberado. Mesmo com o crédito liberado, o dinheiro só é entregue após o banco avaliar o imóvel e o contrato de venda ser registrado em cartório.

Documentos necessários:

Ao ir ao banco tenha em mãos originais e cópias do RG e CPF (se casado, do casal), comprovantes de estado civil e de renda (holerites, extratos bancários e declaração completa de imposto de renda do casal, se for o caso) ou os outros documentos citados.

Tipos de financiamento

Como já visto, existem duas formas de financiar um imóvel:

  1. Pelos bancos
  2. Direto com a construtora

Para financiamento pelos bancos você pode utilizar recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE).

Financiamentos pelo FGTS

O financiamento com a utilização de recursos do FGTS faz parte do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) é o mais utilizado no país e só pode ser utilizado para quem deseja comprar ou construir um imóvel residencial. O saldo do FGTS pode ser utilizado constituindo parte do pagamento ou pagamento do valor total do imóvel.

Para quem possui o saldo essa é a melhor opção. As taxas de juros cobradas nesse caso são as mais baixas, de 12%.

Condições:

  • Ter no mínimo três anos de trabalho sob o regime do FGTS (mesmo que em períodos ou empresas diferentes)
  • Não possuir nenhum financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH)
  • Não poderá ser possuidor, nenhum tipo de imóvel residencial urbano no município e região de onde mora ou onde exerce seu trabalho principal
  • Há um limite máximo de valor que varia de acordo com as regiões do país

Financiamentos pelo SBPE 

Pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) o financiamento pode ou não se enquadrar nas condições do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), depende do valor do imóvel e do financiamento a ser adquirido.

Quando o valor do imóvel financiado está nos limites do SFH, as taxas de juros também não passam de 12% ao ano. Quando o financiamento é realizado pelo SBPE, mas fora dos limites do SFH, as taxas de juros podem ultrapassar os 12%.

Viu como é simples? Agora é só juntar os documentos e ir atrás da casa própria dos sonhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =